domingo, 18 de janeiro de 2009

DEIXEM-ME...

Não me digam adeus, deixem apenas os braços abertos para me abraçarem á chegada. Deixem as lágrimas escorrer-me pelo rosto, para que a saudade me vá invadindo lentamente.

Deixem-me olhar as margens do Tejo com a nostalgia do momento, e olhar ao longe o Bugio que me abre as portas do mar e do sonho.

Deixem-me desfrutar a magia de sulcar as águas azuis e acariciar as Ninfas que Camões cantou.

Enfim deixem-me sair a barra, abraçar o oceano imenso nas asas de uma gaivota, e gritar aos setes ventos as saudades que deixo neste meu Portugal amado. FG

Fotos: Carlos Dias

5 comentários:

Hugo disse...

O Adeus é sempre dificil.. parece que fica sempre algo por dizer ou alguem por despedir.. Mas é bom saber que na volta os nossos mais queridos lá estaram novamente para nos receber e matar saudades..
Uma boa missão! Mar chão e Aragens muitas..
Grande Abraço para o pessoal em especial para a Comms Team
Favas

Pipas disse...

Sim senhor, estavamos mesmo inspirados...
Grande abraço

Aeromarujo disse...

Para quem sabe o que é, sabe o que sentem.
Mar chão e ventos de feição...

Treclabrecas - Corroios disse...

Senti a vossa partida com nostalgia.
Boa missão e que os vossos objectivos se realizem.
Já faltou mais para o vosso regresso!

Treclabrecas

jaime disse...

Era sempre penosa a partida, a chegada uma alegria. Hoje, já reformado, a nostalgia desses tempos. Não há tempos que substituam esses tempos, mesmo que estes tempos sejam bons tempos.
A todos bom tempo e... mar chão!