terça-feira, 16 de Junho de 2009

A ROUPA DO MARINHEIRO

“A roupa do marinheiro não é lavada no rio
é lavada no mar alto á sombra do seu navio”

Esta quadra inserida no Cancioneiro Português, actualmente poderá ser considerada um chavão, mas se em vez de recuarmos, se nos actualizarmos no tempo não poderemos achar quadra mais actual. Mas vamos recapitular e com a ajuda do repórter do Sailors News vamos publicar uma conversa passada a bordo de uma Fragata da Marinha Portuguesa em meados de Março. A conversa passa-se em plena lavandaria entre três peças de roupa: Um pijama (P), uma toalha (T) e umas cuecas (C), vamos então à conversa:

T – Isto está um granel, ainda hoje cheguei aqui e já me separaram das outras peças que vieram comigo.
P – Vai-te habituando, pois eu já ando perdido ao tempo e não sei se o meu dono me volta a encontrar.
C – Isso é mesmo conversa da treta, já eu sei sempre onde estou, pois ninguém me toca, sempre e orgulhosamente só.
P – Deixa-te lá de tangas, porque a mim não me dás conselhos, ainda por cima vindos de que passa a vida debaixo de outra peça de roupa maior.
C – Não te admito que fales assim comigo, posso ser pequenina, passar a vida debaixo de outra peça de roupa maior, mas tenho atributos que tu nunca terás, nem conhecerás.
T – Então pessoal, que granel é este, vamos é fazer pouco barulho, senão ainda acordamos os rapazes que aqui dormem, e depois é que eles nunca mais lavam nada. Já agora, podíamos tentar organizar uma festa do pijama, assim podia ser que encontrasses o teu dono.
P – Boa ideia.
C – Boa ideia???? A sério???? Vocês realmente!!!!! Que falta de classe.
P – Ouve lá, não te estiques, que és Made in China, e ainda se partem os elásticos.
T – Então rapaziada, atenção ao stress, senão ainda começamos a suar e depois temos de ser lavados outra vez a 90º…….
C – Eu não a mim ninguém me toca….
P – Cala-te, já não te consigo ouvir, fazia-te bem era estares numa Corveta, ao menos o cansaço, calava-te a matraca….
C – Vai, mas é lamber sabão, seu pijama que mais parece um macaco de fuzileiro….
P – Segurem-me senão……!
T – Calma, então quem vos ouvir falar, até parece que estão num sítio onde a organização já teve melhores dias….Olha onde é que me levam, eu não sou desse alojamento, eu não sou dessssssssssssseeeeeeeeeeeeeeeeeeee………….

E foi a última frase a que o Sailors News teve acesso. Esperemos na altura em que a história seja publicada, a toalha tenha encontrado o seu alojamento.

NA: A semelhança desta história com a realidade é mera coincidência………..ou não!!!

Texto: FG

5 comentários:

MJ disse...

Os dias passam, as lágrimas molham os meus olhos mais do que as chuvas de Junho em Portugal.
Saudade é uma palavra que doi.
Um Abraço mano.
(Obrigada ao autor do blog que me faz sentir um pouco mais perto desses mares longínquos)

Débora Nóbrega disse...

Cinco estrelas!!!
Adorei ler este post.
Fez-me voltar aos tempos em que era marinheira!
Parabens a todos vos.

Favas disse...

heheh belo texto.. qualquer semelhanca com a realidade é pura coincidencia!! ehhe acontece mto.. anda sempre tudo á procura da rolha.. neste caso.. da peça de roupa perdida!! ahhhh que saudades.. que tenho..grande abraço!

SICKs disse...

HeHeHeHe

A minha Lavandaria tem lugar de destaque aki no Blog...

Hehehehe


US Martins

Carlos Baptista disse...

Trata-se naturalmente de um texto à Gavancho!! Aproveito para te enviar um abraço e desejar os maiores sucessos nessa nobre missão.
Carlos Baptista (406685)